Brasil

Bebê é o 1° morto no RJ por sarampo após mais de 20 anos sem registros de mortes pela doença no estado

Em Feira de Santana acontece neste sábado vacinação contra sarampo

Um bebê de oito meses foi o primeiro morto por sarampo registrado no estado do Rio de Janeiro, após 20 anos da última morte registrada em decorrência da doença no país. Desde 2000 nenhuma morte pela doença havia sido registrada no estado. A doença havia sido erradicada em 2016.

Segundo a secretaria Estadual de Saúde, Davi Gabriel morreu no dia 6 de janeiro, mas a confirmação da causa da morte ocorreu apenas agora. A criança estava no abrigo Santa Bárbara, em Vila de Cava, Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Ainda de acordo com a secretaria, a vacinação era feita de forma rotineira, mas a criança contraiu sarampo antes dos seis meses de vida, idade mínima para a primeira dose da vacina.

David deu entrada no Hospital Geral de Nova Iguaçu no dia 22 de dezembro com quadro de pneumonia. Foram coletadas amostras para os exames, que confirmaram a doença em duas diferentes análises.

Dados do Ministério da Saúde afirmam que entre 2013 e 2015, ocorreram dois surtos da doença a partir de casos importados, nos estados do Ceará e Pernambuco, com 1.310 casos. Os surtos foram controlados com as medidas de bloqueio vacinal e, em 2016, o Brasil recebeu o Certificado de Eliminação do Sarampo, emitido pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

O Brasil perdeu o certificado em fevereiro deste ano e, atualmente, empreende todos os esforços para eliminar novamente a transmissão do vírus no país, com reforço da vacinação contra o sarampo.  Com informações  G1

Vacinação contra sarampo neste sábado

Todas as 115 unidades básicas de saúde e de saúde da família estarão funcionando neste sábado, 15, oferecendo a vacinação contra o sarampo. A programação faz parte da campanha nacional de vacinação promovida pela Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria Municipal de Saúde.

As unidades estarão funcionando em regime de plantão das 8h às 17h  na zona urbana e das 8h às 16h30 na zona rural, oferecendo também atualização da caderneta de vacinação.

Pessoas de cinco a dezenove anos de idade, não vacinadas ou com o calendário de vacinação incompleto, fazem parte do público alvo da campanha. A meta é imunizar 95% do público alvo.

Fonte Secom

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close