BahiaReligião

30 anos após morte de Irmã Dulce, fé e solidariedade seguem como legado da santa brasileira

Religiosa morreu após dois anos de internação no hospital Santo Antônio, em Salvador.

Neste domingo, a morte de Irmã Dulce, a Santa Dulce dos Pobres, completa 30 anos. A data, um dia 13, número que acompanhou a religiosa em diversos momentos da vida, parou Salvador. Após dois anos internada no Hospital Santo Antônio, Irmã Dulce morreu no final da tarde de 13 de março de 1992, 13 dias antes de completar 78 anos e levou milhares de pessoas às ruas.

Três dias depois, no dia 15 de março, amigos, devotos, seguidores, beneficiados pelo trabalho da religiosa e outros tantos deram o último adeus à Irmã Dulce, que foi sepultada no altar do Santo Cristo, na Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, também na Cidade Baixa.

Cinco meses antes da sua morte, em outubro de 1991, Irmã Dulce recebeu em seu leito de morte, a visita do Papa João Paulo II, de quem recebeu a bênção e extrema unção.

Trinta anos depois, o legado da religiosa segue baseado na fé e na solidariedade, mas muita coisa mudou, incluindo um título de santidade para Irmã Dulce.

Fonte G1/Bahia

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios